8.11.2009

EU E I. - MAGIA DO DESEJO - UM SONHO LINDO E INTENSO. - Três contos da Gil : "Eu e I". - "Magia do Desejo" e "Um Sonho Lindo e Intenso" . Os contos da Gil são romanticos, porém muito excitantes. Divirtam-se !!

***

Eu e I.

(Escrito por Gilmara - gil.aguiaturismo@hotmail.com)


 

Ai vai mais uma das minhas deliciosas foda com o I.. Ontem trocamos mensagens insinuantes o dia todo no trabalho não combinamos nada p/ noite devido a ele ser um rapaz muito ocupado. Na noite anterior tivemos uma excelelnte foda(como sempre), mas cada vez que sinto aquele caralho vermelho e duro me penetrando por inteira fico alucinada p/ ter mais.Fico praticamente melada o dia todo no trabalho vendo ele desfilar na minha frente com o seu pau volumoso dentro da calça. A vontade que dá é de cair de boca, arrancar a sua calça e fazer tudo que gosto.No final do dia, já mais do que excitada fui embora desiludida pq ele não poderia ir ao meu encontro p/ fazermos mais uma seção de foda. Em casa comecei a me masturbar pensando naquele pau duro, cheiroso e que enche toda de porra, gozei mas não fiquei satisfeita. Assim que acabei minha seção de masturbação o telefone tocou. Para minha felicidade era ele dizendo que viria trepar comigo. Estava louca de tesão, ele chegou e eu já fui logo excitando-o, mas ele como sempre me enlouquece . Deitado me colocou sentada em sua boca e começou a me chupar, chupava e lambia a minha buceta com a língua quente. Foram longos momentos nesta posição e eu gozava em sua boca várias vezes e quanto mais eu gozava mais ele lembia e engolia o meu gozo. Nào aguentei e quis sentir seu gozo tbm. Comecei a chupá-lo e fazer movimentos com as mãos excitando-o cada vez mais, me virei de lado p/ que ele pudesse olhar p/ a minha buceta e meu rabo latejando de prazer enquanto eu sentia aquele rígido e delicioso pau.Ele gozou maravilhosamente em minha boca. Descansamos um pouco e eu comecei a minha seção de novo, deixei-o louco. Ele já tarado me deixou de quatro p/ me fuder toda meteu o seu caralho em minha buceta com força e começou um vai e vem delicioso, acariciando o meu grelho e meus seios. Com suas mãos ágeis aproveitou e passou a pomada no meu cuzinho e anunciou que iria come-lo. Sentindo seu pau em meu rabo comecei a gozar(mal tinha acabado de gozar em seu pau). Naquele vai e vem gostoso gemi feito louca de prazer, gozei deliciosamente e várias vezes(tbm c/ um pau delicioso te fudendo, as mãos acariciando meus seios e minha buceta e ouvindo coisas deliciosas no pé do ouvido, ahhhhhh estou quase gozando só de lembrar ahhhh). Me encheu o rabo de porra fui a lua e quase não voltei. Desmaei e antes do despertetador tocar p/ eu acordar p/ trabalhar, acordei com o cheiro do seu caralho já ereto vindo em minha direção e...DELÍCIA meteu na minha boceta, GOZEI, fudeu gostoso, GOZEI, aiiiiiiiiii meteu no meu rabo que delíciaaaaaaa.....ahnnn ahnnnn ahnn Gozei e ahhhnnn ahnnn ai que delícia sentir o seu pau jorrando porra no meu rabo. Descansei e em seguida chupei todo seu pau que me proporcionou tantos prazeres e mais prazer quando gozou em minha boca, engoli tudo e quero mais. Infelizmente teve que acabar mais estou aguardando mais uma vez aquele pau me querer.

***

MAGIA DO DESEJO

Gilmara - gil.aguiaturismo@hotmail.com)


 

" Eu ainda não conseguia acreditar que estava fazendo uma coisa daquelas, mas desde que a minha amiga Julia falou dela, fiquei instigada a conhece-la. Julia descrevera Sarah como uma pessoa tão exótica e forte de caráter que eu sentia até medo de encontra-la. 0 meu maior choque foi quando Julia me falou que a garota gostava de mexer com magia e essas coisas pesadas. Elas combinaram de fazer um ritual juntas na casa de alguém, e foi ai que eu entrei, pois como meus pais tinham viajado para Paris, minha casa havia ficado como único lugar disponível. Elas combinaram de me encontrar em casa depois das oito da noite, pois tinham que comprar um monte de coisas antes de vir. Enquanto elas não chegavam, fui arrumando a sala de forma que ficasse um bom espaço para o ritual. Encostei todos os moveis contra as paredes, apaguei todas as luzes da casa para "atrair o bicho", como me disseram. Preferi usar roupas pretas, como nos filmes de terror. Quando achei que tudo estava pronto, fiquei esperando por elas. Quando passara das oito e quarenta, eu comecei a me preocupar. Afinal, eu estava sozinha naquele casarão todo apagado, com o coração palpitando de pavor e esperando uma menina estranha cuja reputação não era ser das melhores. 0 toque da campainha cortou meus pensamentos. Desci correndo as escadas e abri a porta. Então pasmei com a figura parada diante de mim. Era uma garota alta e magra, com a pele bem branca e reluzente, usando um longo vestido decotado de seda preta. Ela me causava arrepios. - Meu nome é Sarah, sua amiga Julia deve ter falado de mim - apresentou-se a estranha. - Sim, falou. Mas onde ela esta? - Deve estar chegando com o resto do material. Ela foi logo entrando, e so quando passou por mim é que pude notar a longa trança negra no cabelo e a assustadora tatuagem de um bode sem olhos em suas costas. Porém, por mais esquisita que fosse, Sarah tinha algo que me atraia de forma compulsiva, como se fossemos ima e ferro. Sarah analisou o local em que faríamos o ritual e começou a acen der algumas velas no chão. Em seguida, pôs-se de quatro e começou a desenhar alguns símbolos com carvão. Abaixada daquele jeito, o vestido delineava sua bundinha de um jeito que dava para notar que ela estava sem calcinha. Era estranho como sua imagem sinistra me cativava e provocava pensamentos maliciosos. Repentinamente, um relâmpago clareou o céu e meu coração disparou com o susto, mas ao mesmo tempo me desinibiu de tal forma que não pude mais conter meus desejos compulsivos. Sendo assim, me aproximei de Sarah, distraída com seus desenhos, e atolei a mão em sua bunda. Ela não pareceu se assustar com a minha atitude; muito pelo contrario, virou-se para mim com um sorriso aberto no rosto e rebolou sua cinturinha enquanto passava a língua maliciosamente nos lábios vermelho-sangue. Beijei-a calorosamente, entrelaçando-me a sua boca com a ajuda de nossas línguas. - Você é tão gostosa! - sussurrei em seu ouvido, mordendo seu lóbulo enquanto sentia sua mão escorregar pela minha barriga em direção ao baixo-ventre. - Eu vou te comer todinha! - respondeu ela, tão insinuante quanto eu. Nos deitamos no meio de todos aqueles símbolos e começamos a tirar nossas roupas graciosamente, nos admirando com olhos sedentos pelo corpo uma da outra. Olhei para sua vagina bem depilada e me atirei nela, enfiando minha língua entre seus lábios internos e sugando-a como uma vampira a procura do alimento. Sarah arranhava as próprias coxas e as mantinha bem abertas para potencializar o efeito da minha chupada. Como gemia aquela garota! Resolvi então saciar uma velha curiosidade: apoiei minhas duas mãos em suas nádegas e ergui sua cintura a uma altura em que sua bucetinha e seu anus pulsavam diante dos meus olhos. Passei a lamber ambos os orifícios, forçando entre suas nádegas com o polegar até que seus músculos lasseassem para que meu dedo a penetrasse. - Ai, que gostoso! - gemia Sarah, dando leves estocadas com a bunda contra minha mão. Minha xana estava completamente ensopada, eu chegava a sentir meu liquido lubrificante escorrer por entre minhas pernas, dando uma sensação esquisita quando alcançava os pelinhos do meu cuzinho. Debrucei sobre o sofá, apoiando meus cotovelos no braço e arreganhando bem as pernas para que ela pudesse retribuir a deliciosa chupada que 1he dei. Sarah agarrou firmemente minha bunda com as duas mãos e abriu meu cuzinho num movimento brusco, que me fez sentir rasgada. Colocou então sua língua comprida e molhada em meu orifício, enquanto provocava meu clitóris com as mãos. Minha boquinha inferior estremecia de tesão a cada movimento delicado que ela fazia. Senti algo grosso me penetrar, e retribuindo a gostosa sensação, apertei minha pélvis e rebolei como uma serpente na sua língua e nos dedos que me penetravam a xoxota. - Eu vou gozar, mexe mais rápido! - implorei para ela. - Agiienta mais um pouquinho para gozarmos juntas! - respondeu Sarah em tom autoritário. Como num impulso momentâneo de sanidade, me senti amedrontada de estar tão entregue aquela situação, sozinha no escuro com uma estranha que me fodia gostoso, porém o mais esquisito era o fato de tudo aquilo ter acontecido de forma tão natural, como se eu estivesse representando um papel e o assistindo como espectadora ao mesmo tempo. Quando Sarah sentiu que por um momento eu fiquei insegura quanto ao que estava fazendo, passou a me beijar as costas e acariciar os pelos loiros da minha vagina. - Não fica assim, eu prometo que não conto pra ninguém que nós fizemos amor! Suas palavras me confortaram e so então notei a magia que estava vivendo, amando outro ser do mesmo sexo que eu. Isso me fazia sentir como se fosse um demônio fêmea, com o ventre fervente e insaciável. Rapidamente obcecada com esse pensamento, virei-me para ela com olhar felino e beijei sua boca calorosamente, lambendo seu rosto branco e macio para encontrar novamente seus lábios vaginais e me deliciar com o sabor do seu suor. Fraternalmente, ela se pos de costas para o chão e pediu para que eu me encaixasse do lado inverso, cruzando nossas pernas para que nossas vaginas ficassem em contato direto, num completo e simétrico beijo vaginal. Nos rebolávamos e gemíamos simultaneamente, esfregando nossos clitóris e dizendo palavras carinhosas uma para a outra até que finalmente gozamos, gritando juntas, unindo nossos gozos e melando nossas coxas com o mel de nosso desejo saciado. Entrelaçada daquela forma com Sarah, adormeci. Quando acordei, ja eram oito e meia da manhã seguinte. Levantei-me assustada e procurei por Sarah, mas ela havia sumido, assim como todos os símbolos e velas que estavam no chão. Quando liguei para Julia perguntando o porque de não ter vindo e o paradeiro Sarah, ela disse não saber do que eu estava falando.


 

***

TRINITY, UM SONHO LINDO E INTENSO

Gilmara - gil.aguiaturismo@hotmail.com)_


 

Eram duas horas. Faltavam poucas horas para aquele encontro. Nunca havia conhecido alguem pela internet, mas sempre imaginei que meu primeiro encontro as escuras seria com um homem. Mas naquele momento de minha vida, precisava mais de uma nova amiga do que um namorado. Cheguei um pouco antes do horario combinado. Vestia uma saia jenas, uma camiseta regata branca e por cima uma jaqueta jeans . Estava ansiosa por conhece-lá. Não sabia seu nome, apenas um apelido pelo qual conversamos noite adentro. Trinity. Tinhamos combinado um encontro no shopping. Ela ja estava atrasada 10 minutos e temia pelo fracasso daquele encontro. Quando ja pensava em ir embora, ela foi ao meu encontro. Mariana, cabelos ondulados, uma morena linda, de olhos cor de mel, algo em torno de 1.70m, 18 anos. Eu tinha 24, a mesma altura q ela, loira, cabelo um pouco abaixo dos ombros, talvez era velha demais para esse tipo de coisa, mas estava muito só e carente. Nos abraçamos como velha s conhecidas que não se viam a muito tempo. Fomos tomar um sorvente, e conversamos por um bom tempo. Descobrimos gostos em comum, da música a literatura. Passamos a tarde no shopping. Olhamos vitrines, rimos, nos divertimos. Convidei-a para ir a meu apartamento naquele mesmo dia. Ela meio desconfiada, aceitou. Pegamos um taxi e em 10 minutos ja estavamos em meu ap. Colocamos um cd para escutarmos, e pedimos uma pizza. Aquela hora ja estavamos com fome. Tinhamos apenas tomando um sorvete. Durante a pizza abrimos uma garrafa de vinho. Uma hora depois e o vinho ja fazia seus efeitos. Ja estavamos completamente a vontade uma com a outra. Trocando confidencias e fantasias. Ela, deitada em meu colo e eu acariciando seus cabelos. Sem perceber, estava passando a mão sobre seu rosto, sentindo sua pele sedosa. Passei meus dedos sobre seus labios e ela devolveu com um beijo em minhas mãos. Levantei-a, trouxe seu rosto para perto do meo e deu-lhe um beijo. Um beijo sufocante, revelando o desejo que havia entre nós. Nossa respiração estava ofegante, suavamos num misto de nervosismo e excitação. Podiamos ouvir a batimento do coração uma da outra. Começei a desabotoar sua blusa, e ela tentava tirar minha camiseta. Ficamos de pé para que pudessemos mais facil nos despir. Em poucos segundos estavamos nos duas, completamente nuas, apenas admirando o corpo uma da outra. Fiquei admirando com aquele corpo, bem modelado, revelando uns lindos seios que estavam tensos de excitação. Nos aproximamos de novo e voltamos a nos beijar. Podiamos sentir todo o toque de nosso corpos. Seu seio tocando o meu, sua barriga junto a minha. Um calor insuportavel invadia toda a sala. Começei a beijar seu pescoçu e sentir o agradavel perfurme de sua pele. A cada movimento mais forte de minha boca ela soltava um gemido sufocado. Deitei-a sobre o tapete e diretamente fui em direção a seus seios. Minha boca beijava seus biquinhos duros de tesao. Chupava com uma voracidade que a fazia geme r cada vez mais alto. Ele entao, agarra meu corpo e me joga ao chao. Fica por cima de mim, me olhando com um ar de desejo. Suas mãos começam a percorrer o meu corpo. Massageando meus ombros. Descendo pelos meios seios. Circulando meu ventre. Arrando minhas coxas. Sua lingua percorre todos os espaços em meu corpo. Retribuo da mesma maneira. Minha lingua toca cada canto quente e úmido de seu corpo. Ela estremece e se conterce de prazer. Ficamos ali, durante horas, ate perdermos a noção do tempo ou do que haviamos feito. Estavamos esgotadas. Tomamos um banho juntas e deitamos em minha cama. Abraçadas, como dois amantes, vivendo a mais completa paixao. Quando acordei ela nao estava mais em meu lado. Pensei....foi um sonho, um sonho lindo e intenso. Me virei para o lado e ela estava ali, velando meu sono. Uma alegria intensa tomou conta de mim e percebi que havia encontrado mais que uma amiga.

Nenhum comentário: