1.18.2013

Mitos do pornô

http://revista.sexlog.com.br

   02 Pronto o tempo todo: imagine que alegria seria se você já entrasse em cena sempre excitado, de pau duro e com sua gata sedenta por sexo? A vida real requer clima, estímulos e a situação certa. Você nem sempre está disposto. Pode ser um estresse com o trabalho, uma briga, uma preocupação... Não se alarme caso você precise de mais do que um vislumbre da bunda de sua gata para se excitar um dia desses.

    Mulheres excitadas sem preliminares: seguindo o mesmo padrão da anterior, as mulheres dos filmes mal começam a ação e já estão lubrificadas. O que ninguém mostra é a preparação antes de tudo, com lubrificantes e vibradores.

    Gritos: outra característica dos filmes são os gemidos. A não ser que o local seja muito propício para isso, tipo um motel ou uma casa de veraneio afastada de quem você conhece, é bem difícil que sua mulher libere o gogó durante a transa ou na hora do orgasmo. Ela pode até gemer, mas se vocês moram com os filhos ou em apartamento, ela provavelmente não vai gostar de mostrar a intimidade de vocês com gritos.

    Transa eterna: em alguns filmes, a cena dura meia hora de pura ação. Não se sinta frustrado se a sua penetração dura 15 minutos no máximo, com muito esforço... A não ser que você pratique sexo tântrico, isso é completamente normal. Nos filmes, há cortes e até gravações em dias diferentes para os atores descansarem e se recuperarem. Sua gata provavelmente não suportaria tanto tempo de fricção - depois de um tempo e do orgasmo, a lubrificação da mulher diminui bastante e o sexo pode ficar incômodo, em vez de bom. Opte por qualidade, em vez de quantidade.

    Deep throat: tá achando que qualquer mulher vai engolir seu pau numa boa, sem nem engasgar, igual as atrizes pornôs? Esqueça. Essa técnica é complexa e exige treino. Não force a barra com sua mulher, ou você pode acabar todo sujo... Se quiser, a Revista Sexlog fez um tutorial para você mostrar pra ela.

    Elasticidade total: se os atores pornôs são mestres no controle ejaculatório, as atrizes são prós na arte do malabarismo corporal. Elas ficam por muito tempo em posições extremamente incômodas para qualquer mulher, mas já estão acostumadas e treinam para isso. Se você quiser testar alguma posição nova com a gata, vá com delicadeza e não valorize demais caso ela não consiga permanecer do jeito que você queria.

    Anal de boa: se você já fez anal com sua mulher, deve saber que nem sempre o processo é tão simples e indolor quanto os filmes mostram. Lembre-se de que há cortes que não mostram toda a ação, e também do fato de haver a preparação da atriz antes do filme, com vibradores e lubrificantes que alargam as pregas anais e facilitam a entrada do pênis.

    Nenhuma delicadeza: é comum ver os homens chupando sem dó uma mulher e ela fazendo cara de quem está gostando, dando tapinhas no clitóris e pedindo mais. Na vida real, as coisas são menos intensas e a fricção ao clitóris feminino precisa ser mais delicada, pois a região é muito sensível. As mulheres também exageram quando lidam com o pênis e tudo isso faz parte da encenação.

    Perigo: muitas situações mostradas nos filmes são bastante improváveis na vida real, sendo algo que não acontecerá para a maioria das pessoas. É um recurso que mexe com a fantasia do expectador, mas isso não significa que você deve forçar a barra para fazer sexo perigoso com sua parceira, a não ser que haja uma oportunidade e os dois sintam prazer com a aventura.

    Elas topam tudo: outra tara masculina é gozar no rosto ou em partes visíveis do corpo da mulher, em vez de dentro dela. Nem tente imitar isso em casa, a não ser que ela peça ou que você pergunte se tudo bem antes mesmo de começarem a transa. Muitas mulheres têm nojo ou sentem-se mal com isso, há outras que gostam. Se ela nunca tiver demonstrado isso, só perguntando para saber. O mesmo vale para a ejaculação na boca dela, durante o boquete. Você precisa respeitá-la e entender se ela não quiser isso. Durante o boquete, se estiver muito bom e ficar difícil segurar, avise-a e deixe que ela decida o que fazer a seguir.

Saiba mais em http://revista.sexlog.com.br/sexpert/top-10/mitos-do-porno

roubado do site Revista Sexlog - http://revista.sexlog.com.br/