2.14.2012

COMENDO A EX NO CARRO

Fazia um tempo que não ficava com garotas, tinha preferido pensar apenas no trabalho, mas óbvio que não tinha virado santa. Sempre que possível me tocava... Porque a masturbação é uma arte! Qualquer uma que já tenha descoberto isso irá concordar comigo. E nisso, eu era muito boa, sempre soube do que gostava e como... Consequentemente, de como as outras mulheres gostavam.
Estava assim sozinha, desde que terminei com Letícia , minha ex , com quem transava religiosamente todas as vezes que nos encontrávamos. Apenas numas duas ou três vezes não descobrimos um canto onde nos comer. Mal olhava pra ela e já sabia que estava morrendo de tesão, não adiantava nem tentar disfarçar.
Se saímos com amigos, dávamos um jeito de nos tocar no banco de trás do carro ou por baixo da mesa ou quando íamos ao banheiro e etc. Traduzindo: éramos as duas completamente taradas por sexo. Infelizmente, essa tara só se dava com ela e quando não a tinha sentia pouquíssimo interesse por outras mulheres, sendo assim havia transado pouco nos últimos meses e estava com um puta tesão reprimido.
Havia voltado a falar com Letícia há duas semanas, ela estava com uns namoricos e eu afim de um guri, então combinamos de nos encontrar pra tomar um café, apenas como amigas. Encontrei-a no lugar marcado, nos abraçamos meio sem jeito e conversamos um pouco. Enquanto conversávamos mal nos olhávamos, eu porque sabia que sentiria vontade de agarra-la se olhasse e suspeito que ela pelo mesmo motivo. Tomamos o café, conversamos mais um pouco e quando ia me despedir me pediu pra acompanha-la até o estacionamento. Fui, por cortesia, sem qualquer malícia.
Chegando lá, pediu pra entrar no carro pra conversar mais um pouco. A essa hora eu já estava muito tensa, morrendo de vontade, olhando pro teto e pensando em qualquer besteira pra não partir pra cima dela. Mas do nada, me perguntou por que não olhava pra ela. Olhei. Ela me olhou.
- Ta com medo de mim, Bia? Respondi que não.
-Parece.
Não agüentei mais. Cheguei perto. Fazendo carinho nas mãos. Aproximei meu rosto do dela, passei minha língua pelos seus lábios, fazendo o contorno e depois beijei. Ela correspondeu imediatamente e com menos calma que eu! Me puxou pra junto e me beijava feito uma louca, passando a língua na minha. Enfiei a mão por baixa da blusa dela e soltei um gemidinho involuntário assim que senti os mamilos durinhos, maravilhosos, pronto pra serem chupados. Passei a mão de leve por eles, depois apertei, fiquei brincando, ela fazia o mesmo comigo.
Nós duas já não nos agüentávamos de desejo, ainda mais sabendo que a qualquer momento poderia passar algum carro. Ela parou de vez. Me olhou com aquela cara de safada que só ela sabe fazer. Entendi imediatamente o que ela queria ouvir.
- Abre a calça, Letícia.
Ela não demorou nem um pouco pra me obedecer, abaixou a calça e uma parte da calcinha, deixando parte dos seus pelos a vista, me matando de tesão. Deitamos o banco e fiquei por cima dela. Assim que senti aquela bucetinha toda molhada enlouqueci. Não agüentei fazer joguinho, enfiei 3 dedos de uma vez. Ela deu um gritinho gostoso e pediu pra continuar. No entanto, fiz justamente o contrario. Enfiei mais uma duas vezes e tirei os dedos. Ela me olhou espantada. Pede pra colocar de novo . Não . Pede senão não coloco . Me fode, por favor. Fode gostoso como só você sabe fazer. Fode, safada . Enfiei os dedos de novo. Dessa vez, um por um. Comecei fodendo devargar, acelerando o ritmo cada vez que ela rebolava mais. Enquanto a fodia, ela me apertava e falava sacanagens no meu ouvido. Pedindo pra comer mais forte, mais rápido... Adorava quando ela gemia de prazer, me enlouquecia. Levantei a blusa dela e chupei os seios com força. Ela também me apertava com força. Parei de chupar pra ficar olhando-a nos olhos, vendo aquela cara de prazer de quem já estava quase gozando. Bia, vou gozar . Goza, putinha... goza gostoso pra mim . Ela gozou feito uma cadela no cio. Um carro passando do nosso lado, possivelmente viram o que estava acontecendo e nós duas nem um pouco preocupadas com isso. Assim que ela gozou deitei meu corpo sobre o dela e fiquei esperando a respiração dela voltar ao normal. As duas completamente suadas, cansadas. Depois desse dia ainda nos encontramos mais vezes. Sempre pra transar, mesmo quando estávamos namorando. Já aprontamos muita coisa, que contarei aos poucos.