9.11.2009

EU E LAURA

conto de Tê (morenakaline@hotmail.com)


 

Num fim de semana, Rui foi para o futebol e fiquei em casa com a Beth, minha cunhada. Continuo cada vez mais louca por ela....Nesse dia,ela estava deliciosa : com um shortinho curtinho, mostrando a polpa da bundinha e sem soutien, com os biquinhos quase furando a blusa.......Prá não cometer uma loucura, fui para o banheiro, entrei na hidro e comecei a me tocar...... Meu grelinho estava durinho de tesão e eu estava molhadinha. Comecei a bater uma siririca bem gostoso.. Beth me interrompeu, batendo na porta. Era telefone prá mim.... Pedi que ela trouxesse o sem fio prá mim... Ela me olhou curiosa. Deve ter percebido o que eu estava fazendo, eu estava com o rosto vermelho e o biquinho do peito arrepiado......Ficou me olhando longamente, antes de fechar a porta. ...

Era Laura no telefone, uma menina que eu conheci pela Internet.... Era a primeira vez que a gente se falava por telefone... Ao ouvir a voz suave e aveludada de Laura, continuei me masturbando lentamente.... Começamos conversando sobre vários assuntos, eu disse a ela que estava na banheira., comecei a tagarelar e ela foi ficando quieta. ...O papo foi se encaminhando para sexo, eu contei prá ela como o Rui me fodia, como eu fodia com outros caras, que eu gostava de chupar e ser chupada, que eu gostava de dar o cú, de ser chamada de puta.,que era uma vagabunda mesmo, falava tudo isso enquanto me masturbava loucamente..... Do outro lado da linha, Laura deixou escapar sem querer um gemido ..... Eu perguntei se estava acontecendo alguma coisa. A voz dela estava diferente, mais rouquinha. ...Eu insisti até que ela confessou que estava com tesão, estava tocando uma siririca e sentiu vontade de ouvir minha voz.... Eu ri da coincidência..... Confessei que também estava me masturbando e quase gozando... Perguntei onde ela estava : Laura respondeu que estava sozinha em casa, na sala. Disse que estava usando só uma camiseta larga e estava sem calcinha. Laura perguntou como eu era. Eu me descrevi prá ela : disse que tenho cabelos pretos e lisos, boca carnuda, seios fartos de bicos grandes, coxas grossas e bunda grande , que é o meu orgulho.... Disse que estava de quatro prá que ela me chupasse... Adoro ser chupada assim, com a língua alternando entre a buceta e o cuzinho... Ela gemia cada vez mais alto... Pedi que ela se descrevesse : Com voz rouca e alterada, ela me disse que era loira de cabelos curtinhos, olhos claros, seios pequenos, pernas longas e buceta carnuda, depiladinha e com clitóris grande... Disse que estava com a bucetinha empapada.... Eu me masturbava mais rapidamente, gemendo enquanto ela falava... Ela disse que estava tirando a camiseta, prá eu chupar os seios dela.... Eu me tocava freneticamente, me arrepiando toda..... Me imaginei lambendo e sugando os mamilos dela, durinhos de tesão.... Abrindo as pernas dela e colocando dois dedos na xaninha e massageando seu grelinho com a língua. ...Laura se imaginou lambendo todo o meu corpo e enfiando um dedo no meu cuzinho. Pedi dois. Cheguei a sentir seus dedos me penetrando.... Comecei a gemer cada vez mais alto e não consegui parar de gemer, sentindo ondas de calor e arrepio me invadindo o corpo. Ouvindo Laura gemer, gozei loucamente. ..Ela gozou um segundo depois, do outro lado da linha. ....Continuamos nos tocando,;..Depois de ter gozado, minha xaninha estava mais sensível e eu me contorcia e me arrepiava a cada toque. ...Gozamos novamente, aos berros. ..Depois ficamos um bom tempo em silencio, curtindo as contrações de nossas bucetas. Depois nos despedimos, prometendo um encontro o mais breve possível . ..

Só então me dei conta de que Beth podia ter ouvido tudo. Sai do banheiro com a maior cara de pau e com arzinho de inocencia, e ela estava na sala,... Me olhou de cima em baixo. Fez um olhar tão safado que me tirou a razão. ...Quase eu avanço prá cima dela..... Nesse instante, o Rui chegou

Não sei mais o que eu faço, não estou me controlando mais.... Vou acabar fazendo uma loucura.

Espero que esse email faça vocês baterem muita punheta e esporrarem bastante pensando em mim, na minha boquinha lambendo o cacete de vocês.......Me escrevam e contem suas fodas também .... Beijos da Gata Malcriada ..

***

A Putinha que eu amo!

Autor Desconhecido


 

Sai da repartição puto da vida. Precisava desafogar as tensões de mais um dia de trabalho, quando lembrei de uma amiga que trabalhava num termas.

Chamava-se Claudia e sempre recebia todos com simpatia e atenção. Se não quisessem ficar com ela, indicava uma colega tão gostosa quanto. Era amiga mesmo.

Assim que cheguei, Claudia notou que eu precisava de um levanta-defunto. Serviu uma dose de uísque e perguntou pela família. Viu que o assunto era trabalho e mandou que esquecesse, colocando minha mão pesada sobre as coxas quentes.

- Vou apresentá-lo à Carla, uma gatinha fantástica que faz qualquer um esquecer os problemas.

- Disse isso me levando para um canto da boate menos iluminado. Numa das mesas, a beleza de Carla chamava atenção. Usava uma minissaia que realçava as coxas e o bundão guloso. Claudia era realmente uma super amiga e, após as apresentações, estava sentado ao lado daquela gostosona, roçando perna com coxa.

Quando elogiei o traseiro da gata, Carla me desarmou:

- Assim fico molhadinha... adoro dar o meu cuzinho.

Dançamos uma música antes de passar para o quarto.

Ali, depois de um boquete completo, Carla vestiu a camisinha e passou um óleo especial no meu mastro, para facilitar as entradas e bandeiras. Foi dançando até chegar na boquinha da piroca, passando a bundinha pela vara antes de ser fisgada.

- Temos todo o tempo do mundo! Um cuzinho não se come com pressa, mas com

muito carinho. - Avisou!

Quando senti que o pau já tinha entrado a metade naquele monumento, cheguei a tremer. A caverna era quente e pulsava, pedindo um caralho. Ela subia e descia na pica como um bate-estaca, aquecendo o pino de carne. Numa dessas idas e vindas, acabei gozando abundantemente.

A transa foi tão boa que, no dia seguinte, lá estava eu conversando com a

Cláudia sobre os dotes da Carla.

- Ela também adorou você! - Incentivou.

Quando a reencontrei, Carla me deu um beijo longo, cheio de intimidade. Para aumentar a aproximação, convidei-a para ir ao meu apartamento. Antes,passamos num restaurante e levamos umas comidinhas para depois das trepadas.

Pode parecer armação, mas, ao chegar em casa, encontrei meu primo de Juiz de Fora confortavelmente instalado no sofá, de sunga, cerveja do lado e um filme de sacanagem na telinha. Carla não entendeu nada e perguntou se estávamos no lugar certo.

Depois de apresentados, o clima ficou melhor. Júlio era meio folgadäo mas,no fundo, um boa praça. Foi logo indo buscar as cervejas que trouxera para descontrair o ambiente.

- Você é muito bonita! - Elogiou.

0 problema foi que a fita continuou rolando na televisão e, coincidência ou não, a cena era de uma mulher transando com um homem e um cachorro ao mesmo tempo. Um troço de louco. Claro que dava para notar que aquilo deixava Carla nervosa. Enquanto eu conversava com meu primo, ela não desgrudava os olhos da foda, babando.

Para estar à vontade, também fiquei só de sunga e comecei a tirar a roupa de Carla.

- É, está quente mesmo aqui! - Falava, soltando uns risinhos.

Inteiramente nua, exigiu que nos dois fizéssemos o mesmo. Passou então a nos pagar um boquete, tentando engolir as duas picas ao mesmo tempo. A mulher tinha revelado a verdadeira identidade para o meu primo, que parecia não acreditar no que estava acontecendo. Era demais para a cabeça dele ver as cenas da telinha se repetirem ao vivo na minha sala, com muito mais emoção.

Não aguentando mais de tesão, falei:

- Já sei o que você quer, minha putinha maravilhosa.

Deitei e mandei-a sentar no meu pau. Enquanto isso, meu primo, mais avantajado, preparou-se para comer aquele cuzinho couve-flor que tanto prazer me dera. Passou um creme ali e mandou bala. 0 cara foi na lua. Acho que não comia um rabinho há anos, sem trocadilhos.

Assim esta ótimo,adoro pica! Adoro me dar para os homens! - Gritava Carla.

0 fato é que ela agüentou bem os dois jumentos, mexendo o corpo sem parar, saciando nossa fome de sexo.

Depois, apagamos os três juntos. Quando acordei, o filme mostrava um cara comendo duas mulheres alternadamente. Olhei para o lado, vi Carla, vi Júlio e não me animei com a idéia... Melhor era acordar Carla com carinho e partir para o segundo round no quarto, só nos dois. Foi o que aconteceu, naquela e em outras vezes fantásticas. Eu te amo, Carla!