2.21.2013

Descobri que sou cadela, vadia e obediente

Conto de Ivana

O tempo todo que tenho livre passo pensando em sexo, não sei porque, mas essa situação começou a causar-me problemas. Na empresa onde trabalho sou supervisora de um dpto onde a maioria são homens, então tenho 9 rapazes ao meu dispor. E sinceramente não gosto disso. Moro sozinha e isso me da muita privacidade, o único problema são as horas que gostaria de conversar com alguém e não há ninguém além das pessoas que encontro na net. Fico sempre imaginando que posso encontrar alguém que tenha vontade de me usar como uma cadela, mas nunca confio nas pessoas, então tudo fica muito difícil. Há 2 meses, mudou-se para o Ap vizinho um homem, de 35 anos, elegante, inteligente, educado e tb sozinho. Várias das vezes que desci pela manhã para a garagem, dividimos o elevador, sempre com o mesmo papo do clima, dos dias passarem rápidos... Há 1 mes, ele me questionou sobre minha família, disse-lhe que não tenho parentes no Estado e que isso é um grande desafio. Na mesma noite meu interfone tocou. - Oi vizinha, quer jantar comigo? Sei que acabou de chegar, ouvi quando abriu a porta. Confesso que estava aguardando. - Nossa me pegou de surpresa, mas claro, só preciso de 20 minutos para um banho. - Eu preciso de 30 para terminar o jantar... estou te aguardando. Fiquei em estado de choque, não sabia como reagir, como me comportar e juro que pensei somente ser um convite amigável de outra pessoa na mesma situação que a minha. Tenho jeito de menina, apesar dos mais de 25 anos e as vezes não percebo quando me visto como tal e, esse foi um desses dias. Coloquei um calcinha de algodão, pequena, mas muito confortável, um sutiã igualmente de algodão, uma capri, uma batinha e uma sandália sem salto, já havia passado o dia todo num salto gigante. Peguei somente a chave do meu Ap, e fui, com os cabelos molhados, soltos, sem maquiagem, ele me fez uma surpresa, teria uma também. - Oi visinho, espero não ter feito esperar. - Espero que coma macarronada. - Claro, quem vive sozinha não tem muitas escolhas. - Entre, por favor. Apenas sorri e entrei, uma sala confortável, aconchegante, tudo muito claro. Jantamos, batemos papo sobre profissoes, familia, lazer na cidade, até que ele me perguntou porque estava sozinha. - Não sei pq estou sozinha, mas acredito que seja porque nenhum homem até hoje conseguiu me entender, é como se todos tivessem me tratado de forma errada. Depois desse discurso abaixei a cabeça. Aquele homem que até então não havia dito uma palavra grosseira, tinha sido até um tanto romantico, me fala: - É pq existem homens que não sabem tratar... uma cadelinha assim como vc, deve ser uma vadia se bem conduzida. Era exatamente aquilo, só não sabia como havia percebido, minha inocencia não permitiu que eu percebesse que há um mes estava sendo analisada. - Sempre muito atenciosa, intelegente e prestativa, porém baixa os olhos quando perguntamos sobre sua opinião, quer sempre que seja a mesma nossa, e não contexta quase nada. Fala de como comanda o dpto, com muito receio de não saber estar fazendo o correto, mas está, não se preocupe e, se não bastasse, veste-se como uma adolescente para provocar os homens, confesso que vc consegue muito bem fazer isso, seus olhos sem maquiagem ficam infinitamente mais belos... Quando eu fui me justificar, dizendo que me vestia daquela forma pq era a meneira como me sentia bem... - Cala a boca, eu estou falando. - Sim Sr, desculpe. - Quero que me diga apenas, se estou errado... - Não Sr, não está. Mas agora eu tenho que ir, preciso trabalhar amanhã, adorei o jantar e espero não ter contrariado suas expectativas. - Vc nunca trabalhou aos sábados, desde que moro aqui... Meu deus, esse homem sabe tudo, me enxerga completamente. - Se não te atraio, se não quer que eu continue, vá pra casa. Vou tirar a mesa. Agora se quer descobrir o que me atraiu em vc, pode escolher um cd e me esperar na sala. Comprei o cd que vc adorar e ouve a noite todos os dias, depois de deitar, antes de dormir. Ouço bem baixinho a batida da música. Na mesinha da sala tb, tem um livro que li essa semana, o mesmo que estava na sua mão, segunda-feira é um belo romance. To estudando vc... se quiser aprender sobre mim, é sua chance. Fiquei preplexa, como ele sabia tanto... como poderia... abaixei a cabeça caminhei até a sala, sentei-me, não ousava levantar a cabeça. Quando ele retornou parou na minha frente com o dedo indicador, levantou meu queixo, me fez olhar nos olhos dele. - Vou entender isso como uma cadela que quer se entregar. - Entenda isso como uma cadela surpresa e curiosa. Não me desafie menina, eu sei que o que está pensando, pq já se entregou a mim, quando abaixou a cabeça pela primeira vez. Me puxou, me colocou em pé e me beijou, senti sua mão correndo por todo meu corpo e um tapa forte em meu rosto acabou com toda aquela sensação, fechei os olhos. Senti uma coleira sendo presa em meu pescoço vi depois um pingente escrito suas iniciais. A guia gelada chegava até perto do meu pé. Abriu minha calça, tirou a devagar, passou as mãos pela minha calcinha. - Minha menina, linda, inocente e desamparada. Sua pau estava duro, tirou minhas sandálias, ficou em pé e abriu minha bata, tirando o cordão cruzado que a fechava na frente. Não falei nada, nem conseguia, cortou as laterais da calcinha e do sutiã, estava nua pra ele. Me conduziu até o quarto onde transou comigo, de forma carinhosa e gozou no meu rosto. Me puxou de volta pela guia, passando por cima de um pergolado decorativo prendeu-a, depois com algemas, prendeu meus braços pra cima, olhei no relógio e era próximo da meia noite, na hora ne minha cabeça veio a frase: "Chegou a hora de deixar de ser uma cinderela"... Meus pés foram afastados e na posição presos, me deixando aberta, meu Sr passava as mãos no meu corpo arrepiado e prendeu presilhas nos meus seios, soltei um gemido, ele sorrio. Logo em seguida uma gag foi colocada na minha boca, e como estava imóvel só pude sentir o toque, quando ele abaixou atras de mim. Um cinto com um 2 consolos pequenos foi colocado em mim. Meu Sr estava com o pau duro e saiu da sala, voltou com um chicote. - Meninas são educadas apanhando... essa é por ter chegado tarde ontem, essa é por não ter percebido meu interesse e essa é para eu sentir prazer em te bater. Verifou as presilhas nos meus seios e colocou uma correntinha em cada um com um pesinho na ponta, a dor novamente me arrepiou e fiquei mais molhada. O consolo anal do cinto foi inflando e alargando meu rabinho, que não era virgem, sentia que estava sendo judiado. O consolo da minha boceta começou a vibrar e eu gozei. - Quem te deixou gozar em vadia? Como castigo mais pesos foram colocados nos meus seios, e tapas neles foram a ação seguinte. Meu Sr começou a retirar meu cinto, o consolo que saiu do meu rabinho estava com mais de 6 cm de diametro, parecia uma bexiga. Meu Sr se posicionou atras de mim, segurou os meus seios e enfiou o pau duro no meu cu de uma vez. - O Sr me permite gozar, por favor? - Goza menina... Eram estocadas firmes e fortes, meu cu foi alagado pela porra dele e eu gozei, tremendamente. Um plug muito grosso foi posto no meu cu, com a recomendação de não expeli-lo, meu Sr tomou banho, voltou e pegou o telefone. Ligou pra um amigo... - Rapaz, minha temporada de caça foi encerrada, encontrei a cadela... está aqui na minha frente, presa, amordaçada, com as tetas sendo puxadas por pesos, um plug no cu e as pernas abertas, eu acabei de enraba-la e ela gozou... Em seguida despediram-se e desligou. Dois tapas na cara e a guia que me segurava vou puxada, minhas pernas separadas e presas assim, agora estava nas pontas dos pés. Fiquei assim por 2 horas, sendo chicoteada 5 vezes a cada 5 minutos e sempre ouvindo que era pro meu bem, o que concordo, meu Sr me elogia muito, sempre me chamando de vagabunda, puta, vadia e me dizendo tudo o que pretende fazer comigo... Quando me soltou, cai no chão de tão cansada, ele me levou pro banheiro, me lavou e me colocou pra dormir com ele. Mas me avisou que cadela em apartamento não pode fazer bagunça e para assegurar que eu não vou ficar fazendo barulho a noite, vou dormir na cage, que esta no canto do quarto. Mas como hoje eu tinha ficado muito cansada, dormiria com ele...

Postado por Ivana

http://contoscomevangelicas.blogspot.com.br/2011/05/descobri-que-sou-cadela-vadia-e.html

6 comentários:

Silvio Nobre disse...

Meu pau vai explodir de tanto tesao! Que conto maravilhoso. Uma cadelinha assim como vc e que eu to precisando na minha vida!

Karina Lima disse...

To aqui

Anônimo disse...

Quer ser minha cadelinha, Karina? Te faço gozaaar muito!

solito alexandre disse...

Karina adoro uma cadela vem (43)996005434. Alexandre

solito alexandre disse...

Karina adoro uma cadela vem (43)996005434. Alexandre

Anônimo disse...

Que delicia.
Li o relato e fiquei com muito tesão.Sei separar amor de sexo.Aliás considero sexo uma obra de arte, que deve ser muito bem trabalhado.Longos beijos, toques sutis para deixar a calcinha da parceira ensopada.
Procuro mulher fogosa para deliciosos momentos de prazer sexual.
Tenho excelente nível.
machoalfasorocaba@bol.com.br
Contato inicial somente pelo e mail a