12.15.2009


A DEBUTANTE INSACIÁVEL
Autor Desconhecido

 
  " Somos três amigos inseparáveis, totalmente machos e gostamos de aventuras sexuais com adolescentes, tendo em vista que temos mais de trinta anos e, como dizem por aí, "burro velho gosta mesmo de capim novo". Concordamos plenamente com o ditado.
Outro dia estávamos no aniversário de uma debutante e notamos que a maravilhosa ninfeta estava usando um minivestido vermelho, com um decote em V que quase fazia pular fora seus deliciosos seios que, de tão suculentos, mais pareciam duas saborosas pêras, prontinhas para serem saboreadas. 
Enquanto conversávamos, pudemos observar que ela nos olhava, não a um de nós apenas, mas aos três, o que nos fazia vibrar de prazer e encerrava a disputa natural do macho pelo olhar da fêmea. Vez por outra aquela beldade ainda despendia um sorriso gostoso e sacana, o que nos deixava bastante excitados. 
A casa tinha um jardim enorme, com piscina e tudo mais que se possa imaginar. Nós fomos para o jardim e fizemos com que ela notasse que estávamos saindo. Ela nos viu e, para nossa surpresa e contentamento - na verdade já era mesmo o esperado -, a jovem nos seguiu. 
No jardim, ela se aproximou, aproveitamos para parabenizar a moça (e não era apenas pelo aniversário, mas também por ser deliciosa) e conversamos apenas um pouco para quebrar o gelo. Logo Ricardo, o mais atrevido de nós, começou a acariciar as coxas grossas e roliças da jovem gostosa. E para nossa surpresa completa, ela apalpou o membro de Ricardo. Ficamos olhando com um tesão que já se tornava insuportável e, quando nos aproximamos mais, ela, com um olhar safado, pediu para que subíssemos até o quarto. 
Rapidamente, com alguma discrição, subimos e por alguns segundos, que mais pareceram uma eternidade, de tanto tesão que já nos dominava àquela altura do campeonato, ficamos esperando-a cheios de ansiedade. Não tardou e lá estava ela, com um sorriso de quem queria ser devorada por três leões sedentos de sexo. Ela percebeu nosso estado de delírio e aproveitou para nos provocar ainda mais, demorando em cada gesto, esbanjando charme e sensualidade a cada movimento. Ricardo, como sempre, foi o mais ousado e tomou a iniciativa. Num ímpeto de loucura, arrancou seu vestido, deixando aparecer aquele corpinho delicioso e bem moldado pela natureza. Peitinhos médios e empinados, cinturinha fina que deixava se destacar as ancas largas e o bumbum arrebitado - como se chamasse para ser enrabado. 
Eu (Marcelo) e Maurício passamos a alisar as coxas e o corpo da ninfeta, enquanto Ricardo sugava seus seios. Começamos a despi-la das roupas íntimas e notamos que seus pêlos pubianos eram negros e abundantes, cobrindo uma bocetinha que já exalava um perfume delicioso e excitante. Uma morena de dar água na boca. Comecei a chupar seu rabinho enquanto Maurício chupava a vagina. Juliana se contorcia e sussurrava para tomarmos cuidado, alegando, sabem o que? Que ainda era virgem. Ficamos completamente tarados, só de pensar que aquela preciosidade iria tomar ferro pela primeira vez por este trio safado de companheiros de farra. Ricardo, que era o mais bem-dotado, logo pediu para que ela fizesse uma chupeta enquanto eu me deliciava com seu cuzinho e Maurício tentava penetrá-la. O tesão de Juliana era tanto que não suportou por muito tempo e gozou abundantemente. Não conte! nte pediu que a possuíssemos. 
Como entre nós funciona a democracia, o sorteio para definir o grande felizardo foi através do par ou ímpar. Ricardo foi o premiado com a magnífica virgindade. Com certo jeito, foi possuindo devagarinho aquela coisa gostosa e tesuda que se contorcia de dor e prazer, proporcionando cenas de puro deleite. Para espanto de todos nós, em dado momento, ela me chamou e implorou para que a enrabasse. Logo me ajeitei para cima daquele corpo delicioso e a penetrei sem pudor. Fazíamos um verdadeiro sanduíche com seu corpo ardente e macio, enquanto ela chupava o caralho de Maurício até gozarmos os quatro ao mesmo tempo, entre gritos e gemidos de êxtase completo.... 
Ficamos de sacanagem por algumas horas, quando nossa debuntante demonstrava perícia sobre sexo oral. Até que Maurício resolveu experimentar todo sabor de Juliana e trocamos de posição deixando a gata de quatro, bem estufadinha, de forma que ele pudesse escolher bem à vontade o buraco a ser penetrado. Maurício preferiu a bundinha, enfiando de uma só vez o pau, já que ela estava de quatro e isto facilitava a penetração. Ao mesmo tempo, fazíamos as maiores sacanagens com a princesa. Lambíamos, chupávamos e apertávamos o corpo sensacional e escultural da nossa companheira, fazendo com que ela gritasse que não agüentava mais e que iria explodir de tanto prazer. Não dávamos trégua à menina, que na verdade queria cada vez mais, o que ficava bem claro pela cara de felicidade que ela deixava transparecer a cada estocada! e linguada. Quando Maurício acabou, mal deixei ela respirar. Passei a acariciá-la e comecei a chupar os maravilhosos seios, o que excitou novamente Juliana. Logo depois, já estava possuindo a tesuda, colocando-a sentada em meu cacete como se estivesse em um trono. Ela sangrava de tesão e de tanto tomar na xota. 
Continuamos nos revezando em todos os seus buraquinhos, o que levava a safadinha às nuvens. A certa hora, a ninfeta sugeriu que ficássemos à sua volta, para reproduzirmos uma cena de vídeo pornô que ela havia visto recentemente. A despudorada começou a acariciar e depois a lamber os cacetes dos três, com destreza e sofreguidão, o que muito nos excitou. Mesmo cansado de tanta sacanagem, nós encontramos forças para continuar aquele joguinho maravilhoso, principalmente porque a debutante era uma especialista mesmo em sexo oral. 
Durante alguns minutos, provamos os prazeres proporcionados por sua boquinha quente e ágil, com lambidas e sucções de nos levarem à loucura. Enquanto ela nos chupava, acariciávamos suas nádegas, seus seios, suas costas lisas e aveludadas. Ricardo enfiou o dedo em seu cuzinho e isto só aumentou a intensidade das chupadas que a gata nos dava. Sua língua acariciava meu saco e de repente subia decidida até a glande, passando deliciosamente pelo mastro já em ponto de bala. O dedo de Ricardo sumia e emergia daquele buraquinho rosado, enquanto outro dedo, o de Maurício, começava a explorar aquela grutinha recém-descoberta. Juliana gemia despudoradamente, quase urrando de prazer, e todos alcançamos o ápice do gozo. Eu esguichei em sua boca, Maurício em sua mão e Ricardo ejaculou sobre sua bundinha, enquanto ela atingia um supergorgasmo. 
De repente ouvimos passos e tivemos que parar. Viramos convidados especiais na casa de Juliana desde então.

 
_________________________________


A SANTINHA QUE VIROU CHINA:
Autor Desconhecido

 
  " Meu nome é Felipe, moro em uma cidade do interior do RS, vou relatar o que aconteceu comigo numa noite de farra. No dia do meu aniversário, fiz uma festa e tomamos bastante... Lá pelas 2:00 horas da madrugada o pessoal resolveu ir para a boate da cidade, e eu não podia perder a festa... Chegando lá começei a agitar mais ainda, pois não sabia que uma grande surpresa estava para me acontecer.
Quando vi Andréia, uma garota com que já havia ficado a algumas semanas atrás...Nesta ocasião eu havia botado a mão na bundinha dela e ela tirou minha mão de lá e disse que não era garota daquilo. Eu pensei comigo mesmo: posso tentar arrumar alguma pra comer, se não vou ficar só no beijinho mesmo com a Andréia. Passa tempo e eu não arrumei nada, então fui ao encontro de Andréia, que também estava só, conversa vai conversa vem fui me aproximando e lasquei um beijo naquela menininha. Ele retribuio muito bem e eu começei os amaços...
Fui descendo e coloquei a mão na bundinha dela... E para minha surpresa não houve nenhuma resistência, e para aumentar o meu tesão ela falou: Hoje quero te dar um presente!
Que felicidade a minha! Estava com um tesão enorme, então pedi para que fossemos para fora pegar um ar, ela com uma risadinha disse que sim... Ao entrarmos no meu carro, ela começou a me beijar loucamente, eu estava a fim de parar e comer ela ali mesmo no carro! Ela me apertava, me beliscava, me torturava! Eu não aguentei e parei o carro na torre ("matel" da cidade) e fomos para o meio do mato.
Eu como já esperava que me acontecesse uma coisa do estilo e tinha levado uns cobertores... Estendi no chão e me deitei... A garota veio por sima de mim e me beijou novamente, e foi baixando, me lambendo até chegar no meu pau. Ela dava umas mordidinhas uns toques de leve uma loucura!
Eu já não aguentando mais disse pra ela ficar de 4. Ela ficou! Se arreganhou todae ficava falando palavrões do tipo: Eu sou uma cadela! Uma puta! Você tem o maior pau da face da terra! (não chega a tanto mas impõe respeito os meus "21 de comprimento por 7 de largura) Ela dava com prazer! Eu metendo naquela boceta, e olhando aquele cusinho... Eu sem falar nada tirei da boceta dela e coloquei ele no seu cú, ela já tinha gosado umas 3 vezes, e eu ainda não tinha. Ela começou a rebolar muito!
Dizia que doia mas tava adorando! A minha pica entrou dificil... Até doeu... Meti tanto que gosei naquele cuzinho apertado. A minha santinha virou puta e eu a comia quase todo final de semana, como é bom dar uma fodida! Principalmente no dia do seu aniversário.

 

Nenhum comentário: