3.12.2009

SOU UMA PUTINHA, MAS GOSTO


escrito por KELLY <kel_cristy@yahoo.com.br>

Aqui vai o relato de uma aventura com meu pai adotivo Tony e seu sócio Enrico, eu ainda adolescente perdi minha virgindade com o Tony que me ensinou muita coisa, como já contei.
Sempre fui provocativa mesmo não querendo chamar atenção, meu corpo atraia os homens dizia o Tony, meus peitinhos sempre estavam durinhos e eu não podia ver um homem que ficava assim, dizia o Tony que puta era assim mesmo e que eu era uma só que fazia por prazer.
Ele andava nervoso com o sócio dele que era mais velho que ele tinha uns 52 anos, estava pressionando ele demais na empresa, uma tarde eles discutiram na sala e eu estava passando para ir à piscina que ficava nos fundos, estava com uma tanga minúscula, parei e fiquei olhando a discussão.

Os dois me notaram e me olharam, Tony grita comigo dizendo o que eu queria, o sócio intervem e diz que não era assim que tratava uma garota e sorri pra mim, na hora sinto minha calcinha molhar e meus seios doem de tão duro, ele percebe os biquinhos querendo rasgar o pedacinho de pano e morde os lábios, rindo ainda mais. Pergunta pro Tony se não ia nos apresentar, e o Tony diz que eu sou a filha adotiva dele e percebe o interesse do sócio em mim. Tony ri e me diz pra ir pra piscina esfriar o rabo que depois ele me dava um trato, olho pra ele rindo e ele completa veio atrás disso né, sua vadia e continua rindo, viro e saio rebolando de propósito pra chamar atenção, no que escuto uns gemidos deles. Homens!!!

Fui pra piscina tirei a parte de cima e fiquei estendida na cadeira, tomando sol. Logo depois escuto o Tony dizendo que seu amigo tinha gostado de mim, eu respondo é, também gostei dele, e ele ri e me diz se eu topava transar com os dois, como os filmes pornôs que assistíamos, eu fiquei excitada e ele percebeu, rindo foi chamar o sócio, ambos apareceram só de cueca na minha frente, o Enrico disse pra mim que peitinho gostoso eu estava sem a parte de cima, ele se inclina sobre mim e começa a me chupar, eu já estava molhada, o Tony tira a minha parte de baixo do biquíni e fico nuazinha pra eles, os dois riem e o Enrico diz nossa toda peladinha a bucetinha e rosadinha ta piscando pra mim, quando o Tony te chamou de vadia eu não acreditei, mas você é mesmo uma vadia, putinha, eu ri e me contorci de tão excitada, ele mandou eu abrir as pernas, o Tony mandou eu chupá-lo e colocou o pênis na minha cara e o sócio caiu de boca na minha bucetinha e ficou me chupando, eu gemia e me contorcia de tanto prazer, ele chupava minha bucetinha mais gostoso que o Tony, não disse nada pro Tony mas estava adorando ser fudida pelo amigo dele, o Tony me deu um tapa na cara e disse que eu não tava chupando direito, o sócio riu e disse que era a vez dele e me mandou chupá-lo, cai de boca no pênis dele que era muito grosso, mas não tão grande quanto o do Tony, nisso fiquei com a bundinha empinada e o Tony me lambeu e introduziu o dele dentro de mim, minha bucetinha tava pegando fogo de tanta vontade de dar, super molhada e ele ri e comenta com o sócio, que vadia ta encharcada, ambos riem e manda eu rebolar e chupar mais, eu obedeço e escuto eles gemendo, sinto na minha boca o gosto do Enrico e ele me diz vai engolir tudo sem deixar cair uma gota sua vadia, enquanto o Tony ta comendo meu cuzinho, eu engulo o gozo do Enrico e ele diz que nem as prostitutas que ele contrata faz um serviço tão completo como eu, fico ainda mais excitada.


O Tony tira do meu cuzinho e diz que eu ainda continuava apertadinha. O Enrico continua duro e diz pro Tony se afastar um pouco, ele atende e senta na cadeira de praia e fica olhando, tinha uma toalha no chão e eu estava deitada de costas, o Enrico manda eu abrir ainda mais as pernas e numa estacada só introduz o pênis dele na minha bucetinha, e começa a transar comigo, eu sinto aquilo tão grosso me rasgando, fico ainda mais excitada e começo a me contorcer de prazer, o Tony ri e diz vai puta o que ta achando do seu homem dividir você, eu olho pra ele com cara de puta quase gozando e dou uma risada, no que ele me mostra o seu pau durinho me querendo, me sinto tão a toa querendo dar pros meus dois machos,

o Enrico diz ao Tony agüenta ai meu velho você tem ela a todo tempo eu não, quero fuder essa putinha hoje de todo jeito com a vantagem, não preciso pagar e ri, me manda virar e empinar a bundinha eu obedeço e ele sem dó enfia o pênis no meu cuzinho, grito e ele ri, ta gostando vadia, e eu tava, o Tony vem por baixo e encaixa na minha bucetinha, sinto um me comendo pela frente e o outro por trás, fora os xingos deles, o Tony ainda fica chupando meus peitinhos e eu delirando de prazer, teve um momento que eu acho que durante o gozo devo ter gritado muito pois escuto o Tony dizer cala a boca sua puta e mexe gostoso que você sabe fazer melhor que qualquer uma, eu cavalgo gostoso no pau dele e sinto o Enrico cavalgar em mim, quando ele tira do meu cuzinho percebo que ele saiu com o pau sujo de sangue de tanto que ele meteu aquela rola grossa em mim, os dois gozaram gostoso dentro de mim, mas eu que estava rindo e eles perguntam porque eu respondo porque também gozei e muito...pergunto quando iríamos repetir a dose, no que eles caem na risada e me chamam de vadia mesmo.

O sócio dele me beijou na boca e disse que me queria mais vezes, o Tony olhou feio, mas disse que eu precisava fazer uns favores pra ele. No final de semana fui viajar com o Enrico pro guarujá e dei pra ele o tempo todo, inclusive na praia a noite, ele adorava sair comigo nos bares e desfilar mostrando aos outros homens que tinha uma adolescente com ele, sentava no colo dele usava roupas decotadas , justas e transparentes pra todos perceberem que eu era sua amante, ele adorava. Ele me disse que nunca tinha comido uma puta tão safada como eu, ri e disse que adorava dar, ele continuou me vendo e me comendo ate o Tony confessar que morria de ciúmes, mas eu era uma puta e ele tinha que separar as coisas, riu e disse sempre que quiser tenho você a mão. Eu morava com ele e fazia tudo que ele mandava e confesso houve outros empresários que ele acabou me oferecendo nos negócios, eu me sentia uma puta mesmo e estava adorando morar com o Tony.


Principalmente quando ele me mandava transar com os clientes casados, me sentia feliz em dar pra eles o que as esposas não faziam e na cama eu faço tudo. Adoro ser fudida por homens mais velhos e casados, eles não sabem, mas acabo realizando a minha fantasia. Sinto tanto prazer em sentir o prazer deles me comendo, sou sua menininha e a mulher que eles não tem em casa, sei que sou uma putinha, mas gosto...rsrs.

Nenhum comentário: