1.13.2009

UM ANJO



por Gabriel narcisosantos@hotmail.com


Conheci Zélia quando fui para o Rio.eu era novo na cidade, estava casado ,tinha um filho pequeno e não tinha parentes na cidade. Nessa época a minha vida estava de cabeça prá baixo.Eu entrei numa crise financeira,era uma bola de neve.Minha mulher caiu adoentada,e os médicos não descobriam o que ela tinha. Zélia morava no apartamento ao lado e foi ela quem me ajudou muito.Ela e sua fiha Sandrinha. Zélia fazia a comida prá gente, eu trabalhava muito e Sandrinha cuidava da casa,do menino e ajudava minha mulher.


Sandrinha deveria ter uns 16 anos,era uma gordinha deliciosa,seu corpo era de mulher, seios fartos,coxas grossas,com carinha de menina, mas bunda de causar inveja a muita mulheres adultas . Esse era o seu retrato e como deu para ver, os homens ficavam indóceis quando ela, de saia azul e blusa branca que era o uniforme da escola, desfilava pela rua.


Em casa, minha mulher, sempre adoentada, cuidava da casa, com o auxílio de Sandrinha,pois eu estava sem possibilidade de custear uma empregada. Eu era muito grato a ela e me sentia culpado pelo tesão que sentia por ela.


Porém nunca demonstrei qualquer interesse por Sandrinha ,embora não me passasse indiferente, aquelas coxas enormes ou os seios bamboleantes em blusas propositalmente deixadas com botões fora das casas...


***


Um dia houve necessidade de internamento da minha mulher . Foi melhor para ela e eu me dividia entre o trabalho e nas visitas à ela . Zélia e Sandrinha, coitadas, procuravam me servir da melhor maneira possível preparando o café da manhã e o almoço ou jantar .


Uma tarde, eu cheguei em casa e Sandrinha estava lá vendo televisão . Tinha ficado em casa para tomar conta do meu menino. O menino já estava dormindo, Zélia estava viajando e Sandrinha pediu prá ficar um pouco em casa,porque estava se sentindo sozinha. Claro que eu aceitei.


Me banhei, mal comi o que ela esquentou rapidamente e vim de bermuda também assistir TV com um copo de vinho.


Dividi o copo com Sandrinha.Mas ele sentou-se num sofá e eu em outro, menor.


Nessa noite Sandrinha estava com uma saia jeans curta, que ficava mais curtinha porque ela tinha coxas grossas, e uma blusa apertada,que revelava que ela estava sem sutiã .


Eu estava bebendo e não escondi os olhos gulosos em cima dela . Bebia um gole , olhava para a TV e depois botava aquele olhar de pidão nas suas coxas e não fazia questão de esconder o tremendo volume que fazia entre minhas pernas na bermuda ,já que estava sem cuecas.


Começou naquele momento um filme que eu queria ver e sentei-me no mesmo sofá que ela .


Ela sentou-se um pouco longe mas logo se estendeu no sofá e acabou por apoiar os pés sobre as minhas pernas e não deu outra. Seu pé foi logo de encontro a meu pau super duro mas ela se manteve firme olhando para a TV, mas com a sola do pé encostando no meu membro enorme pulsando de tesão por ela .


Comecei a acariciar seus pés gordinhos como um doce.Adoro pés,a pele era macia. não me contive e comecei a beijá-los,lambendo os dedinhos. Minha mão logo subiu pela suas pernas,e depois de muitas caricias na xaninha ainda coberta pela calcinha, só então ela me beijou,me ofereceu sua lingua deliciosa e me deixou tirar sua blusa e chupar muito os seus seios, até os biquinhos ficarem durinhos.


***


Não demorou e eu já tinha a calcinha dela nas mãos e beijava e lambia com sofreguidão sua xoxota que se derramava em minha língua faminha . Ela se contorcia e me dizia que estava gostoso, prá não parar. Quando me apossei do seu grelinho durinho, ela simplesmente foi tomada por um orgasmo devastador que fez seu corpo tremer em convulsões desenfreadas enquanto eu sentia sua xoxotinha despejar golfadas de líquido diretamente para a minha língua .


Ela me puxou para muitos beijos apaixonados e esfregou-se no meu colo .


Não demorou minutos e eu já sentia a bunda na dureza de meu cacetão e para me enlouquecer ela ficou rebolando ,se esfregando no meu pau duro,esfregando seu reguinho no pau,mas sem sentar-se nele, enquanto eu amassava seus seios enormes. Ela me falou que estava com muito tesão mas que na frente não podia por que era virgem e só queria se entregar prá quem amasse. Ela foi sincera em dizer que não me amava, apenas estava com muito tesão.Eu entendi e comecei a alisar suas nádegas.


Eu estava realmente excitado e ali mesmo na sala a coloquei de bruços no sofá e beijei,lambi,chupei e mordi suas nádegas enormes, lambuzei o seu buraquinho com saliva e creme hidratante e pincelei a entradinha do seu cuzinho com a cabeçorra do meu pau, para depois tentar penetrar .


Ela me disse que doía muito, mas eu fui carinhoso e beijava sua nuca e ombros, dizendo palavras doces e ela foi se envolvendo. Desta vez não houve muita dificuldade e mesmo doendo acabei por alojar minha pica no seu rabinho Fiquei bombeando por algum tempo, e eu depois senti que ela estava gostando,pois começou a entrar naquele jogo gostoso, rebolando e empurrando a sua bunda para trás feito uma cadelinha no cio,


*** Enquanto eu a comia, dava tapas na sua bunda, ela levou a mão até a sua xoxotinha e me disse que sua buceta estava pingando de tesão, pegou o seu clitóris entre os dedos e tratou de maltrata-lo, massageando, beliscando,e apertando ele, até não agüentar mais e entrar num estado de gozo maravilhoso que fez ela gemer e me pedir para que enfiasse cada vez mais forte o caralho bem no fundo do seu buraquinho apertado.(ela falava desse jeito mesmo o que me dava cada vez mais tesão ) Seu cu começou dar fortes piscadelas, mastigando meu cacete.


Eu gemia e falava no seu ouvido que era ela gostosa, safada e que ia gozar. Gozei gostosamente.


Foi uma sensação deliciosa sentir todo aquele líquido quente inunando seu cuzinho que de tão farto transbordou indo molhar suas coxas .


Fiquei dentro dela até sentir o pau murchar


Passamos juntos toda aquela noite e Sandrinha gozou muitas vezes na minha língua e nos meus dedos.


***


Minha esposa ficou internada uma semana e nessa semana Sandrinha ficou viciada em me dar o cú,me chupar,e gozar na minha boca.Toda hora queria que eu comesse ela,e gozava que nem louca.


Depois dessa semana,minha esposa ficou curada,a minha vida financeira subitamente se acertou e Sandrinha e Zélia mudaram, sem deixar endereço.


Costumo pensar que elas foram anjos que entraram na minha vida prá me dar sorte e sempre penso nelas com carinho. (escrito por GABRIEL- narcisosantos@hotmail.com)

Nenhum comentário: